Privatização do Anhembi pode abrir caminho para o PL 300

A aprovação em segundo turno da privatização do Parque Anhembi (foto), na terça-feira (5/12), destravou a pauta da Câmara de São Paulo, abrindo caminho para a votação do PL 300 ainda este ano.

O novo texto do PL 300, que altera o Artigo 50 da atual Lei de Mudanças Climáticas do Município, é fundamental para a Prefeitura dar início à troca dos atuais ônibus a diesel por veículos elétricos e híbridos.

O PL 300 está em 79º lugar na pauta de uma das seis sessões extraordinárias previstas para a tarde desta quarta-feira (6/12).

No dia anterior, o presidente da Câmara, Milton Leite (DEM), comprometeu-se com os vereadores a dedicar três sessões extras para apreciar os projetos de lei de iniciativa dos vereadores (entre eles, o PL 300).

PAUTA

Há quase três meses, os projetos enviados pelo Executivo dominam a pauta da Câmara.

Os vereadores, portanto, poderão dedicar as próximas duas semanas, antes do recesso de fim de ano, para fazer avançar seus projetos.

Mas o compromisso do presidente não significa necessariamente que não haverá novas manobras de esvaziamento das sessões, como as que ocorreram nas últimas três semanas.

Concluída a última etapa de votação do programa de privatização do prefeito João Doria, resta ainda uma matéria polêmica e de interesse direto do Executivo: a aprovação do orçamento de 2018.

O PL 300, originalmente de autoria do vereador Milton Leite, sofreu profundas mudanças após acordo com os vereadores Gilberto Natalini (PV) e Caio Miranda (PSB). Veja aqui a íntegra do novo texto.

Também recebeu apoio de entidades como a Associação Brasileira do Veículo Elétrico, Greenpeace e Rede Nossa São Paulo, entre outras.

Se for aprovado ainda este ano, definirá metas inéditas de controle da poluição atmosférica produzida pelos quase 15 mil ônibus a diesel da frota paulistana, já a partir de 2018.

foto: xxxx
Avelleda soltará o edital dos ônibus na próxima semana
PREVIOUS POST
Nova lei ambiental avança na Câmara de São Paulo
NEXT POST

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *