Linha do tempo

Uma empresa do século 21

A Eletra foi inaugurada oficialmente no dia 22 de agosto de 2000. Começou a operar numa das garagens da Auto Viação ABC, empresa de transporte coletivo fundada em 1956 por José Fernando Medina Braga e Maria Myrtis Setti Braga, na Avenida Dr. José Fornari, em São Bernardo do Campo. É uma empresa de tecnologia que conhece o seu mercado e tem os olhos voltados para o século 21.

1882: o 1º ônibus elétrico

1882: o 1º ônibus elétrico

Em abril de 1882, na Alemanha, Werner von Siemens, da Cia. Siemens & Halske, fabricou e colocou em circulação o primeiro ônibus elétrico do mundo, no bairro de Halensee, em Berlim. O Contaktwagen era uma carruagem com motores elétricos e duas hastes em contato com uma rede aérea de eletricidade, como os trólebus atuais. O veículo também passou a ser conhecido como Elektromote.

1949: o 1º trólebus do Brasil

1949: o 1º trólebus do Brasil

A cidade de São Paulo foi a pioneira no Brasil a utilizar o sistema de transportes por trólebus. Em 22 de abril de 1949, a Companhia Municipal de Transportes Coletivos (CMTC), empresa pública criada dois anos antes, inaugurou sua primeira linha no percurso Praça João Mendes – Aclimação. Os trólebus começaram a substituir os antigos bondes da Light, que circulavam desde 1900.

A experiência dos anos 80

A experiência dos anos 80

Em 1980, o grupo que mais tarde formaria o primeiro time de engenharia da Eletra participou diretamente de um dos mais ousados programas de renovação tecnológica da frota da CMTC. Entre 1980 e 1983, a equipe do engenheiro Antônio Vicente de Souza e Silva projetou e produziu 200 trólebus Tectronic/Ciferal/Scania (foto) e mais 90 Tectronic/Marcopolo/Scania. A encomenda original previa 400 unidades.

1999: a primeira equipe

1999: a primeira equipe

A primeira equipe de engenharia da Eletra começou a ser montada entre janeiro e fevereiro de 1999. A empresa ainda nem tinha sido batizada. O grupo se formou sob a liderança de Antônio Vicente de Souza e Silva (foto), engenheiro eletrônico formado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), e dos especialistas em eletrônica Paulino Fumio Hiratsuka e Carlos Antônio Lopes Casciano.

A primeira sede

A primeira sede

A Eletra começou a operar numa das garagens da Auto Viação ABC, empresa do mesmo grupo, na Rua Dr. José Fornari, 164, em São Bernardo do Campo, ao lado da Via Anchieta (foto). Hoje, a Eletra está instalada no meio de um bosque, na Rua Monteiro Lobato, 200, Bairro Montanhão, também em São Bernardo.

O primeiro projeto

O primeiro projeto

No início de 1999, o desafio da nova equipe foi produzir o primeiro ônibus elétrico híbrido do Brasil, com tecnologia totalmente nacional: um modelo articulado de 18m. Foi o primeiro projeto da Eletra. Os planos originais incluíam também um híbrido modelo Padron, de 12m, para 105 passageiros e um micro-ônibus híbrido de 8m, para 24 passageiros.

Primeiro híbrido 100% nacional

Primeiro híbrido 100% nacional

O primeiro ônibus elétrico híbrido construído no Brasil pela Eletra começou a operar no segundo semestre de 1999. É um modelo articulado de 18m para 170 passageiros com tração elétrica híbrida em série, motor-gerador a diesel, baterias chumbo-ácido seladas e freios regenerativos (KERS). O veículo circula até hoje na frota da Metra, no Corredor ABD.

2000: a inauguração

2000: a inauguração

Oficialmente, a empresa Eletra Industrial Ltda – hoje, Eletra Tecnologia de Tração Elétrica  – foi inaugurada no dia 22 de agosto de 2000, em São Bernardo do Campo. O contrato social, porém, foi assinado em 1999.

2001: o primeiro Padron híbrido

2001: o primeiro Padron híbrido

Em outubro de 2001, a Eletra construiu e colocou em circulação seu primeiro ônibus híbrido elétrico modelo Padron, de 12m60.

2002: Eletra no Chile

2002: Eletra no Chile

Em outubro de 2002, a Eletra exportou seu primeiro ônibus híbrido para atender ao programa Transeléctric, de Santiago do Chile. Um modelo Padron de 12m60, chassi Mercedes-Benz 0 500M, carroceria Marcopolo, motor elétrico de 120 kw/h e motor-gerador a diesel OM 904 LA, da Mercedes-Benz.  A operadora chilena Probus Ltda começou a circular o veículo no dia 2 de junho de 2003.

Reconhecimento internacional

Reconhecimento internacional

Em 2002, a Eletra recebeu reconhecimento acadêmico internacional. “Antonio Vicente Silva of the company Eletra in Brazil has made a major contribution to the development of what are probably the most successful hybrid electric buses in the world thus far”. (“Antonio Vicente Silva, da empresa Eletra no Brasil, deu uma contribuição importante para o desenvolvimento dos que provavelmente são os ônibus elétricos híbridos mais bem-sucedidos no mundo até agora”). Prefácio de C.M. Jefferson, da University of the West of England (Reino Unido), co-autor do livro “Hybrid Vehicle Propulsion”, com R.H. Barnard, da University of Hertfordshire. WIT Press, Southampton, UK, 2002.

Roda o primeiro trólebus

Roda o primeiro trólebus

Em dezembro de 2002, a Eletra concluiu a produção de seu primeiro trólebus. Ele entrou em operação pela Metra, no Corredor ABD, no primeiro semestre de 2003. É um low entry (acesso rebaixado) de 12m, com chassis Mercedes-Benz e carroceria Busscar. Em circulação até hoje. Foi o primeiro de um contrato de 22 veículos.

2003: tecnologia premiada

2003: tecnologia premiada

Em junho de 2003, a Eletra tornou-se finalista da The World Technology Awards 2003, na categoria World Technology Award for Energy. O evento é um dos mais prestigiosos do mundo nas áreas de ciência e tecnologia, distinguindo organizações, empresas e indivíduos. A cerimônia de entrega do prêmio foi em São Francisco (EUA). A Eletra integrou-se à World Technology Network (WTN).

2004: rumo à Nova Zelândia

2004: rumo à Nova Zelândia

Em 2004, a tecnologia Eletra chegou ao outro lado do mundo. A empresa forneceu os kits de tração elétrica e sistemas de integração para 62 ônibus do serviço de transporte urbano de Wellington, capital da Nova Zelândia. Os contratos foram assinados com a então operadora local Stage Coach (hoje, NZBus). Uma equipe da Eletra cruzou o Oceano Pacífico para supervisionar diretamente a conversão da frota de veículos de 12m, low entry, com chassis e carroceria da neozelandesa Design Line.

2013: e-Bus, elétrico puro

2013:  e-Bus, elétrico puro

Em 2013, a Eletra inovou mais uma vez. Lançou o e-Bus, o primeiro ônibus totalmente elétrico fabricado no Brasil. O e-Bus é um articulado de 18m, 100% movido a bateria. Opera na frota da Metra no Corredor ABD.

2015: pioneirismo em retrofit

2015: pioneirismo em retrofit

Em 2015, a Eletra montou o primeiro veículo elétrico híbrido de carga do Brasil, com baterias Moura, a partir de um caminhão Volkswagen a serviço da Honda. Lançou assim as bases do mais eficiente serviço de retrofit do país (conversão de veículos a combustível fóssil para tração elétrica ou híbrida), tanto no transporte público quanto no de carga.

2016: um ônibus a energia solar

2016: um ônibus a energia solar

Em dezembro de 2016, a Eletra entregou à Universidade Federal de Santa Catarina o primeiro ônibus brasileiro 100% elétrico movido a energia solar. O ônibus transporta diariamente alunos, professores e funcionários da UFSC no trajeto de ida e volta entre o campus central, em Florianópolis, e o Sapiens Park, a 25 km de distância. É abastecido pela eletricidade captada pelos painéis solares do Centro de Pesquisa e Capacitação em Energia Solar Fotovoltaica da universidade.

2017: o novo Dual Bus 13m20

2017: o novo Dual Bus 13m20

Em setembro de 2017, a Eletra lançou no mercado seu novo ônibus elétrico Dual Bus, com 13m20 de comprimento e capacidade para 81 passageiros. A principal característica é sua versatilidade: um mesmo veículo pode rodar como híbrido ou trólebus; ou, em outra versão, como híbrido ou elétrico puro, a critério do operador.

O maior desafio tecnológico

O maior desafio tecnológico

Em 2017, a Eletra superou brilhantemente o seu maior desafio tecnológico, ao fornecer a tração elétrica (power train) e o sistema de integração eletrônica do e-Delivery, o primeiro caminhão elétrico da Volkswagen. O lançamento mundial do e-Delivery foi em outubro de 2017 em Hamburgo, Alemanha, mas todo o desenvolvimento do projeto foi feito no Brasil, em Resende (RJ), com participação direta da equipe de engenharia da Eletra.

2018: o novo mercado do retrofit

2018: o novo mercado do retrofit

Em 2018, a Eletra começou a posicionar-se também como uma das mais qualificadas prestadoras de serviços de retrofit do mercado brasileiro. Negociou acordos para conversão de frotas de caminhões de empresas com Ambev, Protege e Honda, entre outras. A tecnologia Eletra de retrofit permite converter veículos a diesel em veículos elétricos puros ou híbridos, com eficiência e baixo custo para o operador.