Motorista causa acidente com ônibus autônomo em Las Vegas

Duas horas depois de inaugurar uma linha regular de transporte, no dia 8 de novembro, um ônibus elétrico autônomo (sem motorista) envolveu-se num pequeno acidente numa rua do centro de Las Vegas, Estados Unidos.

O culpado não foi o computador e sim o motorista (humano) de um carreta que deu marcha a ré e atravessou o caminho do miniônibus Arma, da empresa francesa Navya (acima – reprodução da KSNV TV).

Não houve vítimas e nem danos materiais relevantes, mas a colisão reabriu imediatamente o debate sobre a segurança dos veículos autônomos em condições reais de trânsito.

FAZER MAIS

Dois dias depois, quatro especialistas do Conselho Nacional de Segurança no Transporte dos Estados Unidos (NTSB) desembarcaram em Las Vegas para estudar o caso.

Segundo um porta-voz da NTSB, o objetivo foi «aprender mais como os veículos autônomos interagem com seu ambiente e com os motoristas humanos dos outros veículos em torno deles».

O miniônibus com tecnologia driverless fez exatamente o que estava programado para fazer, mas isso não foi o suficiente para evitar a colisão.

O Navya Arma seguia pela Fremont Street quando um caminhão de transporte de alimentos com uma imensa carroceria-baú começou a manobrar numa transversal.

Como o previsto, as câmeras e sensores do veículo autônomo detectaram a aproximação e acionaram o freio. O ônibus parou, mas a carreta, não.

O choque danificou o pára-choque do ônibus e interrompeu a festiva inauguração da primeira linha regular de transporte autônomo numa grande cidade americana.

Os oito passageiros nada sofreram. Um deles disse à Agência Reuters que, embora tivesse cumprido o que estava previsto, o computador do ônibus não fez o que um motorista humano faria nas mesmas circunstâncias.

Por exemplo, ao perceber a aproximação da carreta, também poderia ter dado marcha a ré, pois havia espaço atrás, evitando a colisão. «Ou pelo menos poderia ter acionado a buzina».

SERVIÇO CONTINUA

Apesar da polêmica na TV local e nas redes sociais, com muitas críticas à ausência de motorista, o serviço foi retomado no dia seguinte.

O Navya Arma transporta até 15 passageiros (em pé e sentados) a uma velocidade média de 25 km/h, podendo chegar a 45 km/h.

Ele se movimenta com uma bateria LiFePO4, de 33kw/h, com autonomia de até nove horas e recarga (com ou sem fio) de até cinco horas.

O serviço de Las Vegas percorre quase um quilômetro na região de Fremont East District, no centro antigo da cidade de 630 mil habitantes, famosa por seus cassinos.

A linha é patrocinada pela empresa francesa de transporte Keolis e pela Automobile Association of America (AAA).

Tem também o apoio da Prefeitura de Las Vegas e da Comissão de Transporte do Sul do Estado de Nevada.

Veja o vídeo (em inglês):

ABVE apoia acordo sobre transporte sustentável em SP
PREVIOUS POST
Tesla inaugura postos de recarga de veículos elétricos
NEXT POST

Deja una respuesta

Your email address will not be published. Required fields are marked *