Prepare-se: os veículos elétricos aéreos estão chegando

11 janeiro 2018
Comentários 0
11 janeiro 2018, Comentários 0

Os veículos e táxis aéreos estão chegando. Helicópteros elétricos, drones gigantes e máquinas voadoras transportarão pessoas comuns e carga num futuro próximo – dentro de três a cinco anos.

Este é o cenário desenhado por algumas das empresas que exibem seus produtos na Consumer Electronics Show, a feira de tecnologia que termina neste dia 12/01 em Las Vegas (EUA).

Empresas como Uber, Airbus, Siemens, JetBlue, Google, Rolls-Royce, Intel e inúmeras startups em vários países lançaram-se numa corrida para desenvolver engenhos voadores.

São os e-VTOL (electric vertical takeoff and landing), ou seja, aparelhos que pousam e decolam na vertical.

Veja algumas das novidades e prepare-se, pois o mundo dos Jetsons está próximo.

1-Volocopter

Volocopter: 18 hélices movidas a bateria e autonomia de 30 minutos de voo

O Volocopter é um drone gigante fabricado por uma empresa com sede em Bruchsal, pequena cidade no sudoeste da Alemanha.

Tem 18 motores, movimentados por nove baterias elétricas, cabine para dois lugares e autonomia de 30 minutos de voo (27 km).

O primeiro teste oficial foi no dia 3 de dezembro de 2017, com um ilustre passageiro: nada menos do que o CEO da Intel, Brian Krzanich, parceiro da Volocopter (vídeo abaixo).

Por via das dúvidas, o “voo” foi dentro de um hangar em Munique e durou apenas alguns segundos. O aparelho não passou de 3 m do solo e não fez nenhuma manobra.

O CEO da empresa, Florian Reuter, diz que o aparelho é seguro. Cada bateria alimenta dois rotores: se um ou dois falharem, os demais mantém o Volocopter no ar.

E se tudo der errado, um paraquedas evita o pior.

2-Bell

Táxi aéreo da Bell Helicopter: por enquanto, só a cabine de passageiros

A Bell Helicopter, tradicional fabricante americano, também lançou seu protótipo de helicóptero híbrido, ainda cercado de segredos.

Na CES 2018, a empresa exibiu apenas uma cabine com design futurista, sem rotores e hélices.

A Bell promete uma tecnologia de motorização inovadora e quer evitar o olhar da concorrência.

Ela faz parte de um grupo de empresas que se associou à Uber para prover um serviço de táxi aéreo barato e seguro para qualquer pessoa, a partir de 2020.

3-Boeing CAV

CAV, da Boeing: a maior fabricante de aviões dos EUA aposta nos e-VTOL

A Boeing lançou no dia 10 o protótipo do CAV (cargo air vehicle), um grande drone elétrico com oito motores e capacidade para 227 kg de carga.

É um aparelho de transporte autônomo de 339 kg, com 4,6 m de comprimento e 5,5 m de largura.

A segunda maior fabricante de aviões do mundo (depois da Airbus) entrou no mercado de máquinas voadoras autônomas em outubro de 2017, quando assumiu o controle da Aurora Flight Sciences.

A Aurora é uma empresa fundada em 1989 nos Estados Unidos e especializada em drones e veículos aéreos especiais.

Entre seus clientes, estão a Força Aérea dos EUA, a Nasa e a Northrop (fabricante de equipamentos militares).

4-Lilium Jet Eagle

Eagle, da alemã Lilium: uma nave padrão “Guerra nas Estrelas”, a 300 km/h

Um dos projetos mais espetaculares em desenvolvimento no mundo talvez seja o do e-VTOL da Lilium, empresa alemã com sede em Munique.

No final de abril de 2017, a Lilium anunciou a conclusão de uma primeira fase de testes do modelo Eagle.

É um aparelho que decola e pousa verticalmente, como um helicóptero, e voa com a agilidade de uma nave de “Guerra nas Estrelas”.

No vídeo da empresa (abaixo), o protótipo de dois lugares levanta voo numa estrada da Baviera, executa manobras com elegância e aterrissa suavemente.

O Lilium Jet Eagle pode ter autonomia de 300 km e voar a até 300 km/hora, segundo o fabricante.

O protótipo tem 12 turbinas elétricas na frente e 24 atrás. Os conjuntos de turbinas nas asas movimentam-se sincronizadamente nos eixos vertical e horizontal, garantindo manobras rápidas e precisas.

A Lilium é uma startup formada por uma equipe de 40 jovens engenheiros, designers e técnicos de vários países, sob a liderança dos fundadores Daniel Wiegand (CEO) e Matthias Meiner (chefe de operações).

A empresa está projetando um modelo para cinco lugares e promete para breve um voo entre Londres e Paris (344 km) em uma hora.

5-EHang 184

EHang 184: drone chinês operado por controle remoto, para um passageiro

A China não poderia ficar de fora da mobilidade elétrica aérea. Seu produto mais promissor é o veículo aéreo autônomo (AAV) EHang 184.

É um drone para transporte de um passageiro, operado remotamente por uma central de controle.

O EHang 184 movimenta-se por quatro conjuntos elétricos de duas hélices cada, com sistemas redundantes de segurança.

O passageiro não tem controle sobre o voo. Como um usuário de táxi comum, ele entra no aparelho e indica seu destino, cabendo à central remota tomar todas as decisões de decolagem e pouso.

O 184 é projetado para baixas altitudes (até 500 m) e velocidade máxima de 100 km/h, com autonomia de 23 minutos.

A EHang é uma fabricante de drones fundada em 2014 em Guangzhou (Cantão), capital da província de Guandong, no sul da China.

Veja os vídeos (em inglês).

1-Brian Krzanich, no Volocopter

2-Teste do Lilium Jet Eagle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *