Prepare-se: os veículos elétricos aéreos estão chegando

Os veículos e táxis aéreos estão chegando. Helicópteros elétricos, drones gigantes e máquinas voadoras transportarão pessoas comuns e carga num futuro próximo – dentro de três a cinco anos.

Este é o cenário desenhado por algumas das empresas que exibem seus produtos na Consumer Electronics Show, a feira de tecnologia que termina neste dia 12/01 em Las Vegas (EUA).

Empresas como Uber, Airbus, Siemens, JetBlue, Google, Rolls-Royce, Intel e inúmeras startups em vários países lançaram-se numa corrida para desenvolver engenhos voadores.

São os e-VTOL (electric vertical takeoff and landing), ou seja, aparelhos que pousam e decolam na vertical.

Veja algumas das novidades e prepare-se, pois o mundo dos Jetsons está próximo.

1-Volocopter

Volocopter: 18 hélices movidas a bateria e autonomia de 30 minutos de voo

O Volocopter é um drone gigante fabricado por uma empresa com sede em Bruchsal, pequena cidade no sudoeste da Alemanha.

Tem 18 motores, movimentados por nove baterias elétricas, cabine para dois lugares e autonomia de 30 minutos de voo (27 km).

O primeiro teste oficial foi no dia 3 de dezembro de 2017, com um ilustre passageiro: nada menos do que o CEO da Intel, Brian Krzanich, parceiro da Volocopter (vídeo abaixo).

Por via das dúvidas, o “voo” foi dentro de um hangar em Munique e durou apenas alguns segundos. O aparelho não passou de 3 m do solo e não fez nenhuma manobra.

O CEO da empresa, Florian Reuter, diz que o aparelho é seguro. Cada bateria alimenta dois rotores: se um ou dois falharem, os demais mantém o Volocopter no ar.

E se tudo der errado, um paraquedas evita o pior.

2-Bell

Táxi aéreo da Bell Helicopter: por enquanto, só a cabine de passageiros

A Bell Helicopter, tradicional fabricante americano, também lançou seu protótipo de helicóptero híbrido, ainda cercado de segredos.

Na CES 2018, a empresa exibiu apenas uma cabine com design futurista, sem rotores e hélices.

A Bell promete uma tecnologia de motorização inovadora e quer evitar o olhar da concorrência.

Ela faz parte de um grupo de empresas que se associou à Uber para prover um serviço de táxi aéreo barato e seguro para qualquer pessoa, a partir de 2020.

3-Boeing CAV

CAV, da Boeing: a maior fabricante de aviões dos EUA aposta nos e-VTOL

A Boeing lançou no dia 10 o protótipo do CAV (cargo air vehicle), um grande drone elétrico com oito motores e capacidade para 227 kg de carga.

É um aparelho de transporte autônomo de 339 kg, com 4,6 m de comprimento e 5,5 m de largura.

A segunda maior fabricante de aviões do mundo (depois da Airbus) entrou no mercado de máquinas voadoras autônomas em outubro de 2017, quando assumiu o controle da Aurora Flight Sciences.

A Aurora é uma empresa fundada em 1989 nos Estados Unidos e especializada em drones e veículos aéreos especiais.

Entre seus clientes, estão a Força Aérea dos EUA, a Nasa e a Northrop (fabricante de equipamentos militares).

4-Lilium Jet Eagle

Eagle, da alemã Lilium: uma nave padrão “Guerra nas Estrelas”, a 300 km/h

Um dos projetos mais espetaculares em desenvolvimento no mundo talvez seja o do e-VTOL da Lilium, empresa alemã com sede em Munique.

No final de abril de 2017, a Lilium anunciou a conclusão de uma primeira fase de testes do modelo Eagle.

É um aparelho que decola e pousa verticalmente, como um helicóptero, e voa com a agilidade de uma nave de “Guerra nas Estrelas”.

No vídeo da empresa (abaixo), o protótipo de dois lugares levanta voo numa estrada da Baviera, executa manobras com elegância e aterrissa suavemente.

O Lilium Jet Eagle pode ter autonomia de 300 km e voar a até 300 km/hora, segundo o fabricante.

O protótipo tem 12 turbinas elétricas na frente e 24 atrás. Os conjuntos de turbinas nas asas movimentam-se sincronizadamente nos eixos vertical e horizontal, garantindo manobras rápidas e precisas.

A Lilium é uma startup formada por uma equipe de 40 jovens engenheiros, designers e técnicos de vários países, sob a liderança dos fundadores Daniel Wiegand (CEO) e Matthias Meiner (chefe de operações).

A empresa está projetando um modelo para cinco lugares e promete para breve um voo entre Londres e Paris (344 km) em uma hora.

5-EHang 184

EHang 184: drone chinês operado por controle remoto, para um passageiro

A China não poderia ficar de fora da mobilidade elétrica aérea. Seu produto mais promissor é o veículo aéreo autônomo (AAV) EHang 184.

É um drone para transporte de um passageiro, operado remotamente por uma central de controle.

O EHang 184 movimenta-se por quatro conjuntos elétricos de duas hélices cada, com sistemas redundantes de segurança.

O passageiro não tem controle sobre o voo. Como um usuário de táxi comum, ele entra no aparelho e indica seu destino, cabendo à central remota tomar todas as decisões de decolagem e pouso.

O 184 é projetado para baixas altitudes (até 500 m) e velocidade máxima de 100 km/h, com autonomia de 23 minutos.

A EHang é uma fabricante de drones fundada em 2014 em Guangzhou (Cantão), capital da província de Guandong, no sul da China.

Veja os vídeos (em inglês).

1-Brian Krzanich, no Volocopter

2-Teste do Lilium Jet Eagle

Em 2018, Portugal terá um eletroposto a cada 60 km
PREVIOUS POST
‘Sexta Sem Carro’ no centro de SP será em dois dias este mês
NEXT POST

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *