Novos contratos com empresas de ônibus serão de 15 anos

O secretário de Transportes de São Paulo, Sergio Avelleda, confirmou nesta terça (12) que os futuros contratos da Prefeitura com as empresas de ônibus cairão de 20 para 15 anos de vigência.

Um projeto de lei com esse teor está sendo preparado pela Secretaria de Governo e deverá ser enviado à Câmara Municipal ainda este ano.

Os contratos de 15 anos atendem a uma das reivindicações encaminhadas à Prefeitura pela Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

O período representa o meio termo entre os 20 anos da atual legislação e os dez anos cogitados inicialmente pelo prefeito João Doria.

Para as indústrias brasileiras de ônibus elétricos e híbridos, como Eletra, BYD e Volvo, os contratos de 15 anos conciliam a vida útil média com os prazos de financiamento de seus veículos.

TARIFAS

Em entrevista na Prefeitura, Doria foi cauteloso ao falar sobre as novas tarifas de ônibus para 2018.

As passagens estão congeladas em R$ 3,80 desde o dia 9 de janeiro de 2016.

Disse que “qualquer decisão que venha a ser tomada será compartilhada com o Governo do Estado”.

Ou seja: quando vier, o reajuste valerá também para o metrô e trens da CPTM, cuja tarifas também estão congeladas.

Segundo Sergio Avelleda, o reajuste será necessário “para manter o equilíbrio do sistema”.

Um dos principais objetivos da Prefeitura é reduzir o atual subsídio com o sistema de transporte público, hoje em torno de R$ 3 bilhões/ano.

Na proposta de orçamento enviada à Câmara, a Prefeitura defendeu cortar o subsídio para R$ 2,3 bilhões em 2018.

Mas o relator da Comissão de Orçamento, vereador Ricardo Nunes (PMDB), cortou ainda mais: para R$ 2,1 bilhões. A proposta já foi aprovada em primeira votação.

ÔNIBUS NOVOS

Doria e Avelleda participaram da cerimônia de entrega de 1016 ônibus novos na frota paulistana.

“Cumprimos a meta de entregar 1.000 ônibus novos até o fim de 2017”, disse o prefeito.

“É o maior número entregue no primeiro ano de uma gestão desde 2005”- acrescentou Avelleda.

São veículos articulados e biarticulados, com ar condicionado, tomadas UBS, wi fi e acesso facilitado para portadores de deficiências.

No início da tarde, o prefeito participou de uma reunião na Câmara, como faz habitualmente. Foi a 13ª visita aos vereadores desde o início de seu mandato.

Em primeira votação, Câmara aprova nova lei ambiental de SP
PREVIOUS POST
Edital dos ônibus: consulta pública começa no dia 21
NEXT POST

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *