Licitação dos ônibus sai até 15 de dezembro, diz Avelleda

O secretário de Transportes de São Paulo, Sergio Avelleda, disse nesta quinta-feira (26/10) que o edital para renovar os contratos de operação dos ônibus do município será lançado até a segunda semana de dezembro.

Segundo Avelleda, esse é o prazo máximo que combinou com o Tribunal de Contas do Município para destravar um processo licitatório que se arrasta desde 2014.

EXEMPLO

O secretário fez uma palestra (foto) sobre mobilidade urbana na Transpoquip, feira de equipamentos de transporte encerrada nesta quinta no Transamérica Expo Center (Zona Sul).

Afirmou que “o grande desafio” da próxima licitação será dar início à mudança da matriz energética dos 15 mil ônibus paulistanos.

Disse que, embora os automóveis e caminhões sejam os maiores causadores da poluição do ar em São Paulo, cabe à Prefeitura criar as condições para a cidade ter um transporte público ambientalmente limpo.

“É importante que a Prefeitura dê o exemplo e force a troca dos ônibus movidos a combustível fóssil (diesel) para combustíveis renováveis”.

Avelleda mais uma vez evitou manifestar preferência sobre as atuais tecnologias de ônibus limpos disponíveis (elétricos puros, híbridos, a etanol, hidrogênio etc).

Mas deixou claro que a opção pelo biodiesel não conta com a sua simpatia. “O biodiesel é um problema”.

Ele se referia à má experiência da SPTrans (órgão gestor do transporte paulistano), que em 2014 interrompeu um programa de uso do biodiesel nos ônibus (B20), depois de problemas com fornecimento, variações de preço e manutenção dos veículos.

NEGOCIAÇÕES

A Prefeitura aguarda o desfecho das negociações na Câmara Municipal para reformar a atual Lei de Mudança do Clima de São Paulo (Lei 14.933/2009).

O Executivo depende da aprovação dos vereadores para lançar o edital dos ônibus de acordo com a nova legislação. O texto final deverá ser votado em novembro.

Hoje, as conversas giram em torno de três propostas: o Projeto de Lei 300/2017, do presidente da Câmara, Milton Leite (DEM), o substitutivo do vereador Caio Miranda (PSB) e o texto do vereador Gilberto Natalini (PV).

Os contratos atuais entre a Prefeitura e as empresas de ônibus venceram no final de 2013 e têm sido renovados em caráter precário desde 2014.

Em 2016, uma ultima tentativa do então prefeito Fernando Haddad de lançar o edital para renovar os contratos foi barrada pelo Tribunal de Contas do Município. A licitação acabou deixada para o atual governo.

12 cidades do mundo definem meta para ônibus limpos
ANTERIOR
‘O combate à poluição do ar começa no transporte público’
PRÓXIMO

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *