12 cidades do mundo definem meta para ônibus limpos

Os prefeitos de 12 metrópoles do mundo – entre elas, Los Angeles, Londres, Paris e Cidade do México – firmaram um compromisso de só comprar ônibus movidos a combustíveis limpos a partir de 2025.

Reunidos em Oslo, capital da Noruega, no dia 23 de outubro, eles também decidiram que as principais áreas de suas cidades deverão zerar as emissões de poluentes atmosféricos até 2030.

As cidades fazem parte do C40, grupo de metrópoles que lideram uma iniciativa para reduzir o aquecimento global e cumprir as metas do Acordo de Paris (2015).

Segundo Anne Hidalgo, prefeita de Paris, a poluição do ar, causada pela queima de gasolina e diesel, “está matando milhões de pessoas nas cidades ao redor do mundo”.

“E são essas mesmas emissões que também provocam as mudanças climáticas” – acrescentou.

VEÍCULOS NOVOS

A Declaração Ruas Livres de Combustível Fóssil, assinada em Oslo, não significa o banimento de todos os ônibus movidos a combustíveis fósseis daquelas cidades até 2025.

Significa que, a partir de 2025, todos os ônibus novos contratados pelas respectivas autoridades municipais de transporte terão de ser elétricos ou a hidrogênio.

Os prefeitos também se comprometeram a estimular o transporte coletivo, as bicicletas e os deslocamentos a pé nas áreas centrais.

Juntas, as 12 cidades reúnem quase 80 milhões de habitantes e têm 59 mil ônibus de todos os tipos em circulação.

São elas:

-Auckland (Nova Zelândia) – prefeito Phillip Bruce Goff;
-Barcelona (Espanha) – prefeita Ada Colau;
-Cidade do Cabo (África do Sul)  – Patricia de Lille;
-Cidade do México (México) – Miguel Mancera;
-Copenhague (Dinamarca) – Frank Jensen;
-Londres (Reino Unido) – Sadiq Khan;
-Los Angeles (EUA) – Eric Garcetti;
-Milão (Itália) – Giuseppe Sala;
-Paris (França) – Anne Hidalgo;
-Quito (Equador) – Mauricio Rodas;
-Seattle (EUA) – Tim Burgess;
-Vancouver (Canadá) – Gregor Robertson.

SPTrans debate pesquisa sobre transporte público na Câmara
ANTERIOR
Licitação dos ônibus sai até 15 de dezembro, diz Avelleda
PRÓXIMO

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *