Greenpeace cobra ônibus de combustível limpo em SP

Em campanha por ônibus movidos a combustível 100% renovável em São Paulo, o Greenpeace promoveu nesta terça (21-2-17) uma consulta popular sobre o tema em frente à Prefeitura Municipal.

Ativistas da organização mundial de defesa do meio ambiente instalaram um pórtico no Viaduto do Chá, com duas entradas e a inscrição: “você quer ônibus que não poluem em São Paulo?”

Até o final da tarde, passaram pela entrada “Sim” 3.484 pessoas, e pela “Não”, apenas 119.

No dia anterior, o Greenpeace publicou um anúncio na “Folha de S. Paulo” cobrando do prefeito João Doria o cumprimento da Lei 14.933/2009.

LICITAÇÃO

Diz o anúncio: “Prefeito João Doria, este é o momento Você vai agir em favor dos paulistanos e garantir ônibus movidos 100% a combustíveis renováveis em São Paulo?”

A lei 14.933 fixou um prazo até 2018  – que mal começou a ser cumprido – para a total conversão dos 15 mil ônibus paulistanos para motores movidos a combustível não fóssil.

O cumprimento da lei implica mudar os atuais ônibus a diesel para veículos elétricos, híbridos e/ou movidos a etanol, biodiesel e outros combustíveis de baixa emissão de gases do efeito estufa.

O Greenpeace, assim como a Associação Brasileira do Veículo Elétrico e outras entidades, defende que a meta de conversão total da frota seja incluída na próxima licitação que renovará os contratos com as empresas de ônibus.

A licitação, que deveria ter sido realizada desde 2013, foi adiada sucessivamente pela gestão Fernando Haddad.

O atual secretário municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo, Sergio Avelleda, disse neste terça-feira (21-2) que o edital para relançá-la será publicado em maio.

foto: xxxx
Licitação dos ônibus de SP sai em maio, diz secretário
PREVIOUS POST
Entidades querem cronograma para ônibus verdes em SP
NEXT POST

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *