Greenpeace cobra ônibus de combustível limpo em SP

22 fevereiro 2017
Comentários 0
22 fevereiro 2017, Comentários 0

Em campanha por ônibus movidos a combustível 100% renovável em São Paulo, o Greenpeace promoveu nesta terça (21-2-17) uma consulta popular sobre o tema em frente à Prefeitura Municipal.

Ativistas da organização mundial de defesa do meio ambiente instalaram um pórtico no Viaduto do Chá, com duas entradas e a inscrição: “você quer ônibus que não poluem em São Paulo?”

Até o final da tarde, passaram pela entrada “Sim” 3.484 pessoas, e pela “Não”, apenas 119.

No dia anterior, o Greenpeace publicou um anúncio na “Folha de S. Paulo” cobrando do prefeito João Doria o cumprimento da Lei 14.933/2009.

LICITAÇÃO

Diz o anúncio: “Prefeito João Doria, este é o momento Você vai agir em favor dos paulistanos e garantir ônibus movidos 100% a combustíveis renováveis em São Paulo?”

A lei 14.933 fixou um prazo até 2018  – que mal começou a ser cumprido – para a total conversão dos 15 mil ônibus paulistanos para motores movidos a combustível não fóssil.

O cumprimento da lei implica mudar os atuais ônibus a diesel para veículos elétricos, híbridos e/ou movidos a etanol, biodiesel e outros combustíveis de baixa emissão de gases do efeito estufa.

O Greenpeace, assim como a Associação Brasileira do Veículo Elétrico e outras entidades, defende que a meta de conversão total da frota seja incluída na próxima licitação que renovará os contratos com as empresas de ônibus.

A licitação, que deveria ter sido realizada desde 2013, foi adiada sucessivamente pela gestão Fernando Haddad.

O atual secretário municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo, Sergio Avelleda, disse neste terça-feira (21-2) que o edital para relançá-la será publicado em maio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *