Secretário apoia frota verde na nova licitação de ônibus em SP

O secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Gilberto Natalini, defende a ampliação da frota de ônibus elétricos e híbridos no transporte paulistano.

Em reunião com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), no dia 9/2, o secretário apoiou a posição da entidade na próxima licitação que renovará a frota de ônibus da cidade.

“Meu apoio a vocês é ideológico, eu sou um grilo falante da causa ambiental em São Paulo”, disse Natalini.

Ele garantiu que a nova administração cumprirá a Lei de Mudança do Clima da Cidade de São Paulo, de 2009, que prevê o fim gradativo dos combustíveis fósseis no transporte público.

LICITAÇÃO

Para a ABVE, as regras de  renovação dos 15 mil ônibus que circulam em São Paulo devem prever veículos majoritariamente movidos a energia limpa, não fóssil.

Iêda de Oliveira, executiva da Eletra e vice-presidente da ABVE, sugeriu ao secretário que pelo menos 10% dos futuros ônibus novos paulistanos sejam elétricos ou híbridos, já a partir do primeiro ano dos novos contratos.

A ABVE propõe a renovação gradativa dos ônibus novos, à razão de dez pontos percentuais por ano, até a plena conversão de toda a atual frota a diesel para veículos movidos a combustíveis sustentáveis.

Natalini comprometeu-se em marcar uma reunião técnica com o secretário de Mobilidade e Transportes, Sergio Avelleda, para apoiar o aumento da frota verde em São Paulo.

A nova licitação para renovar os contratos das concessionárias das linhas de ônibus de São Paulo está vários anos atrasada.

Os contratos assinados em 2003, pela prefeita Marta Suplicy, têm sido prorrogados sucessivamente em caráter emergencial.

O edital publicado pelo prefeito Fernando Haddad em 2015 foi embargado no Tribunal de Contas do Município.

A atual gestão do prefeito João Doria promete mudar seu teor e relançar a licitação ainda em 2017.

PROJETO DE LEI

O secretário também pediu sugestões da ABVE para atualizar o Projeto de Lei 216, que ele apresentou à Câmara Municipal em 2003, em seu primeiro mandato de vereador

O PL 216 obrigava a mudança da matriz de combustível não apenas dos ônibus paulistanos, mas também dos caminhões de lixo e dos veículos de transporte escolar, num prazo de cinco anos.

A ABVE apresentará suas sugestões num documento específico, a ser enviado à Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) dentro de alguns dias.

Além de Gilberto Natalini, também participou da reunião o diretor de Planejamento da SVMA, Marcelo Morgado.

Pela ABVE, participaram os seguintes diretores do segmento de Veículos Pesados: Iêda M. A. de Oliveira (Eletra), Adalberto Maluf (BYD), Hélcio Makoto (WEG) e Humberto Costa Antônio (Volvo).

Nova tarifa já está em vigor no Corredor ABD
PREVIOUS POST
Ônibus a energia solar da Eletra circula em março na UFSC
NEXT POST

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *